• Equipe
    Especializada

    Contamos com uma equipe de veterinários a disposição do clínico para dúvidas e trocas de experiências. Oferecemos palestras para educação continuada de nossos clientes

    equipe especializada
  • Exames de Cultura e Antibiograma
    liberados em 48h

    Dependendo do crescimento bacteriano

    antibiograma animal
  • Endocrinologia

    Exames hormonais realizados

    DIARIAMENTE
    .

    endocrionologia animal
  • Imunologia

    • Cinomose       • PIF
    • Leptospirose • Ehrlichiose (TITULAÇÃO)
      entre outros

    LIBERADOS NO MESMO DIA

    imunologia
  • Rapidez na
    entrega de exames

    Resultados rápidos e precisos por e-mail
    ou no site.

    sentrega de exames
Exames laboratoriais veterinarios
Manual de exames

ESTUDO DA CALCEMIA EM CANINOS

Material: 1 ml e soro e 1,0 mL de plasma em EDTA     /      ou  2,0 mL de soro.

Use preferencialmente plasma, uma vez que permanece estável durante mais tempo do que o soro para a dosagem do PTH.

Estabilidade: 48 horas a 28 °C, 6 meses a 20 °C (± 5 °C). Congelar apenas uma vez.

Comentários: ESTUDO DA CALCEMIA - é uma ferramenta de diagnóstico para auxiliar no diagnóstico das causas de hiper e hipocalcemia.

Exames realizados:

PTH 1-84

Vitamina D3 (25 dihidroxi)

Magnésio

Cálcio Ionizado

Cálcio Total

Fósforo

Relação Cálcio : Fósforo

 

Hipo / hipercalcemia pode ser causado por uma grande variedade de doenças. Estas doenças podem ser classificadas naquelas que são dependentes da PTH ou independentes da PTH, tornando assim a medição da PTH vital na classificação da hipo / hipercalcemia.

 

A hormona paratiróide (PTH) 184 é o péptido de 84 aminoácidos de cadeia simples de comprimento total produzido pelas glândulas paratiróides em resposta à diminuição das concentrações extracelulares de cálcio ionizado. O seu papel principal consiste em aumentar os níveis séricos de cálcio mediante a estimulação da libertação de cálcio a partir do osso e a respectiva reabsorção renal no túbulo distal. No túbulo proximal, a PTH estimula a síntese do calcitriol, que por sua vez aumenta a absorção intestinal de cálcio e exerce uma resposta endócrina na secreção da PTH ao nível da paratiróide. A PTH diminui também a reabsorção renal do fosfato no túbulo proximal, diminuindo desta forma o fosfato sérico

Os distúrbios de funcionamento da glândula paratiróide provocam o aumento (hipercalcemia) ou a diminuição (hipocalcemia) do nível de cálcio no sangue através de uma alteração da secreção de PTH. A detecção do hipofuncionamento da glândula paratiróide (hipoparatiroidismo) exige um teste de sensibilidade elevada para poder detectar um nível de PTH que se encontre substancialmente abaixo do normal.

O ensaio PTH (184) é um ensaio de PTH de última geração, porque mede especificamente a molécula biologicamente intacta de PTH, a PTH (184). Este dado pode ser vantajoso em doentes com insuficiência renal crónica, uma vez que ficou demonstrado que os fragmentos de PTH (i.e. PTH 784) se acumulam nos doentes renais, presumivelmente devido a uma redução da excreção.

 

Níveis baixos de magnésio provocam diminuição dos níveis de cálcio resistente à regulação pela vitamina D e pelo paratormônio. Para recuperar a função normal, é necessária a reposição simultânea de magnésio e de cálcio.

 

A vitamina D não é fabricada na pele de cães e gatos, como é em seres humanos. Eles obtêm toda a sua vitamina D de seus alimentos, ou de suplementos.

Estudos verificaram que a maioria dos cães e gatos têm níveis insuficientes de vitamina D no sangue.

Insuficiente não significa deficiência. Uma deficiência de vitamina D causará raquitismo que está associado com deformidades ósseas.

Insuficiências da vitamina D em cães tem sido associada a uma série de doenças graves tais como muitos tipos de tumores, doença inflamatória do intestino, doença cardíaca, doença renal, hepatite inflamatória, doença auto-imune e mesmo lesões orais em felinos.

 

 

Por que dosar o PTH 1-84

Os ensaios de PTH mais antigos como os de Radioimunoensaios PTH intacto, ainda reconhecem a fração 7-84 do PTH. Esses ensaios, desenvolvidos na década de 1980, ainda são os mais utilizados na prática clínica atual. Diversas evidências indicam que o fragmento PTH (7-84) contrapõe-se à ação de ressorção óssea do PTH (1-84). Portanto, é possível que a influência do PTH sobre o tecido ósseo seja mais bem avaliada considerando-se não a concentração absoluta dos níveis de PTH, mas as concentrações dos diversos peptídeos com capacidade de influenciar a ação óssea desse hormônio. Esse problema torna-se particularmente importante na IRC, situação em que a secreção de PTH (7-84), bem como de outras frações que podem não ser reconhecidas pelo iPTH, aumenta significativamente.

Mais recentemente, surgiram os ensaios de PTH de terceira geração, PTH 1-84, os quais devem reconhecer apenas o hormônio biologicamente ativo, sinalizando a possibilidade de avanço na avaliação do hiperparatireoidismo secundário da IRC.

O ensaio PTH (184) é um ensaio de PTH de última geração, porque mede especificamente a molécula biologicamente intacta de PTH, a PTH (184). Este dado pode ser vantajoso em doentes com insuficiência renal crônica, uma vez que ficou demonstrado que os fragmentos de PTH (i.e. PTH 784) se acumulam nos doentes renais, presumivelmente devido a uma redução da excreção.

Prazo: 8 dias.

Código: 1.002