• Equipe
    Especializada

    Contamos com uma equipe de veterinários a disposição do clínico para dúvidas e trocas de experiências. Oferecemos palestras para educação continuada de nossos clientes

    equipe especializada
  • Exames de Cultura e Antibiograma
    liberados em 48h

    Dependendo do crescimento bacteriano

    antibiograma animal
  • Endocrinologia

    Exames hormonais realizados

    DIARIAMENTE
    .

    endocrionologia animal
  • Imunologia

    • Cinomose       • PIF
    • Leptospirose • Ehrlichiose (TITULAÇÃO)
      entre outros

    LIBERADOS NO MESMO DIA

    imunologia
  • Rapidez na
    entrega de exames

    Resultados rápidos e precisos por e-mail
    ou no site.

    sentrega de exames
Exames laboratoriais veterinarios
Manual de exames

Vitamina D3 (Calcidiol – 25 dihidroxi)
Material: 2,0 ml de soro.
Condições de coleta: Jejum de 8 horas.
Outros laboratórios: Coletar do animal em jejum de 8 horas e congelar.
Comentários:
O VetLab pode medir tanto calcitriol quanto calcidiol. Medição de calcidiol pode fornecer uma melhor indicação do total de vitamina D3 de nutrição por 2 motivos: calcidiol tem uma meia vida maior (cerca de 3 semanas, em comparação com cerca 4-6h para calcitriol) e a produção não é calcidiol regulada,  dependendo em primeiro lugar da concentração do substrato (dietético consumo).
Método: Quimioluminescencia
Prazo: 5 dias
Código: 832


Vitamina D em cães e sua associação com doenças
Em seres humanos, dados epidemiológicos têm associado baixos níveis de vitamina D com muitas doenças, incluindo uma variedade de tumores. Além disso, tem sido demonstrado em seres humanos que baixos níveis de vitamina D estão ligados com mau prognóstico em pacientes com câncer. Até recentemente, tem havido pouco interesse em aplicar esta informação aos cães. Estima-se que nos Estados Unidos 40-50% dos cães morram de câncer. Agora temos uma epidemia de câncer em cães e muito pouco está sendo feito para prevenir a doença. Um começo seria aplicar o conhecimento que temos sobre o câncer em humanos aos cães.
Nos seres humanos, apenas 5-10% de todos os tumores podem ser atribuídos a defeitos genéticos, enquanto os restantes 90-95% têm as suas raízes no ambiente e estilo de vida. Parece razoável supor que o mesmo é verdade para os cães. Novamente nos seres humanos, muitos fatores têm sido associados com câncer-fumo, dieta inadequada, consumo excessivo de álcool e falta de exercício são bem conhecidos. Há muitos outros fatores que são menos conhecidos, o nível de Vitamina D é um deles.
Uma revisão da literatura encontrou estudos recentes que associam baixo nível da vitamina D a doenças no cão. Três destes estudos demonstraram que o baixo nível de vitamina D está associado a um risco aumentado de tumores de vários tipos. Os outros estudos encontraram a mesma associação de baixa vitamina D com doenças como insuficiência renal, insuficiência cardíaca congestiva e doença inflamatória intestinal.
Um dos estudos descobriu que o risco de câncer aumentou à medida que o nível de vitamina D diminuiu. É necessário testar os animais para encontrar os seus níveis de vitamina D já que muito pouco não é protetora e muito é tóxico. O teste sérico de vitamina D é feito por um exame de sangue. Dada a importância da vitamina D como uma medida preventiva de saúde, recomendamos para todos os cães.
Ao contrário dos seres humanos, cães e gatos não produzem VitD da luz solar; Sua única fonte de VitD vem de sua dieta. Trabalhos recentes demonstraram que os níveis de VitD no sangue na maioria dos cães e gatos são insuficientes, justificando a suplementação.
Além disso, a absorção intestinal varia significativamente de cão para cão.
Os modelos de expansão da vitamina D geraram nova terminologia de "Deficiência", "Insuficiência" e "Suficiência" para definir o efeito protetor que as reservas crescentes de vitamina D têm contra a doença.
O exame de 25 dihidroxi, o armazenamento primário de vitamina D, é o seu melhor meio para medir objetivamente este importante analito. Quando encontrada inadequada, a suplementação dietética é necessária.


Fique atento com condições que alteram os níveis de vitamina D3


Síndrome Nefrótica
Perda da 25-hidroxivitamina D ligada à proteína ligadora de vitamina D. Resulta em perda substancial de 25- hidroxivitamina D na urina.


Doença renal crônica
A hiperfosfatemia aumenta a produção do fator de crescimento de fibroblastos que diminui a atividade da 25- hidroxivitamina D-1α-hidroxilase. Reduz a fração excretada de fósforo e diminui os níveis séricos de 1,25- dihidroxivitamina D.
Incapacidade de sintetizar quantidades adequadas de 1,25-dihidroxivitamina D. Causa hipocalcemia, hiperparatiroeidismo secundário, doença renal e óssea.

Mabsorção
Redução da absorção de gordura. Impede a habilidade do organismo de absorver vitamina D.
Obesidade
Há sequestro de vitamina D pela grande quantidade de células adiposas. Existe uma relação inversa entre o índice de massa corporal e o nível de 25- hidroxivitamina D. Reduz a disponibilidade de vitamina D.


Anticonvulsivantes e corticosteróides 
Ativa a destruição de 25-hidroxivitamina D e 1,25-dihidroxivitamina D na forma inativa de ácido calcitroico.


Hiperparatireoidismo Primário
O aumento dos níveis de hormônio paratireoidiano leva ao aumento da conversão de 25-hidroxivitamina D em 1,25-hidroxivitamina D


Hipertireoidismo
Aumento do catabolismo de 25- hidroxivitamina D. Redução dos níveis de 25- hidroxivitamina D