• Equipe
    Especializada

    Contamos com uma equipe de veterinários a disposição do clínico para dúvidas e trocas de experiências. Oferecemos palestras para educação continuada de nossos clientes

    equipe especializada
  • Exames de Cultura e Antibiograma
    liberados em 48h

    Dependendo do crescimento bacteriano

    antibiograma animal
  • Endocrinologia

    Exames hormonais realizados

    DIARIAMENTE
    .

    endocrionologia animal
  • Imunologia

    • Cinomose       • PIF
    • Leptospirose • Ehrlichiose (TITULAÇÃO)
      entre outros

    LIBERADOS NO MESMO DIA

    imunologia
  • Rapidez na
    entrega de exames

    Resultados rápidos e precisos por e-mail
    ou no site.

    sentrega de exames
Exames laboratoriais veterinarios
Manual de exames

Hemograma Completo (mamíferos)

Material: Sangue total (EDTA) 2ml.

Condições de coleta: Jejum 4 horas. Enviar em até 24 horas.

Interpretação: O hemograma contempla diversas provas efetuadas, com a finalidade de avaliar quantitativa e qualitativamente os componentes celulares do sangue. Os itens avaliados incluem: hemácias, hemoglobina, hematócrito, índices hematimétricos, leucócitos totais, contagem diferencial de leucócitos, plaquetas, exame microscópico de esfregaço de sangue corado e contagem de reticulócitos no caso de anemias.

A análise quantitativa das hemácias, leucócitos totais, plaquetas e a avaliação dos índices hematimétricos são hoje realizados por meio de equipamentos automatizados, especificamente veterinário que combinam diferentes métodos de avaliação de alta tecnologia e precisão à capacidade de análise das diferentes espécies animais, permitindo resultados mais precisos.
A utilização desses equipamentos permite também a avaliação de índices hematológicos e a visualização em histogramas que demonstram a distribuição dos diferentes elementos analisados.
Essa característica possibilita a identificação de alguns parâmetros antes impossíveis de serem avaliados ou que eram analisados subjetivamente, com a visualização do esfregaço em lâmina. Entre esses parâmetros, temos o índice de anisocitose (RDW), a identificação de populações mistas de células, a anisocitose plaquetária e alertas para possíveis alterações presentes na amostra examinada.

Índices Hematimétricos
Volume Globular Médio - VGM

Avalia a média do tamanho (volume) das hemácias, que podem estar em seu tamanho normal, quando são ditas normocíticas, diminuídas (microcíticas) ou aumentadas (macrocíticas). O achado de microcitose é comum em anemias por deficiência de ferro e nas doenças crônicas. O aparecimento de macrocitose pode estar associado à presença de um grande número de reticulócitos e à deficiência de vitamina B12 e de ácido fólico.

Concentração da Hemoglobina Globular Média (CHGM)
É a avaliação da hemoglobina encontrada em 100 mL de hemácias. Esse índice permite a avaliação do grau de saturação de hemoglobina no eritrócito. A saturação da hemoglobina normal indica a presença de hemácias ditas normocrômicas. Quando diminuída, teremos hemácias denominadas hipocrômicas. Os eritrócitos não podem ser produzidos com o conteúdo de hemoglobina elevado, uma vez que o CHGM elevado é fisiologicamente impossível, uma hipercromia sempre irá representar um artefato. Hemoglobina livre, lipemia e corpúsculos de Heinz, são as causas mais comuns.

RDW (Red Cell Distribution Width)
A variação do tamanho das hemácias é analisada eletronicamente pela variação de pulsos obtidos durante a leitura. A análise dessa variação permite a obtenção desse novo índice, que representa a amplitude de distribuição dos glóbulos vermelhos, servindo como um índice de anisocitose, que se altera precocemente na deficiência de ferro, mesmo antes da alteração de outros parâmetros, como a alteração do VGM e a diminuição da hemoglobina.

Alterações da Cor (Características Tintoriais)
A coloração das hemácias reflete a concentração da hemoglobina e pode ser ocasionada:
ou pela diminuição da concentração de hemoglobina e conseqüente redução da cor que leva à chamada hipocromia;
ou pela presença de células com diferentes concentrações de hemoglobina chamada de anisocromia;
ou pela presença de um grande número de reticulócitos que caracteristicamente têm uma cor azulada, que, junto com a cor normal, produz a chamada policromasia.

POIQUILOCITOSE   Variação das formas das hemácias :

ELIPTÓCITOS/   OVALÓCIOTS  Hemácias elípticas e ovaladas, que ocorrem em gatos com leucemia linfoblastica e desordens mieloproliferativas, lipidose hepática e em cães com mielofribosis, síndrome mielodisplasica, e glomerulonefrites.

ESFERÓCITOS (somente cães)  Hemácia pequena de forma esférica e hipercorada que aparece nas anemias hemolíticas auto-imunes.

DACRIÓCITOS  Hemácias em forma de lágrima. Ocorrem em cães e gatos com desordens mieloproliferativas e glomerulonefrites.

CODÓCITOS   Células em forma de alvo. Ocorre um excesso de membrana, fazendo com que a hemoglobina se distribua em um anel periférico, com uma zona densa central. Encontradas nas anemias hemolíticas auto-imunes e nas ferroprivas.

EXCENTRÓCITOS Hemácias com a hemoglobina deslocada para um de seus pólos. Causado em geral por danos oxidativos, como os corpúsculos de Heinz.

ACANTÓCITOS   Hemácias pequenas com projeções irregulares. Aparecem no aumento de colesterol sérico, doenças hepáticas, hemangiossarcoma, coagulação intravascular disseminada e glomerulonefrite.

ESQUISTÓCIOTOS   Fragmentos de hemácias de tamanhos diferentes e com formas bizarras. Observados em  cães com microangiopatias, coagulação intravascular disseminada, anemias ferroprivas severas e glomerulonefrites.

Inclusões e Outras Variações das Hemácias
As inclusões que podem ser observadas nas hemácias estão relacionadas a diferentes patologias e são conseqüência do aumento, de parasitas ou de defeitos da eritropoiese. Dependem, também, da capacidade do baço de retirar da circulação as hemácias malformadas. Outras alterações também podem ser observadas, como a presença de eritroblastos e a formação de rouleaux.

CORPÚSCULOS DE HOWELL JOLLY   Corpúsculo de inclusão pequeno, basófilo, restos nucleares de mitoses anômalas. São observados em animais esplenectomizados e quando em tratamento com vincristina e glicocorticóides. São encontrados em pequeno número em gatos e cavalos normais.

PONTILHADO BASÓFILO  Granulações variáveis em número e tamanho, de cor azulada, agregados de ribossomos remanescentes. Podem ser encontradas em caso de intoxicação. Ocorrem também nas anemias regenerativas em ruminantes.
CORPÚSCULOS DE HEINZ  Precipitados de hemoglobina desnaturada que podem ser encontrados aderidos à membrana das hemácias, em pacientes com anemia hemolíticas por algumas droga, na deficiência da glicose-6-fosfato hidrogenase e pela ingestão de cebola. Para melhor visualização, é necessário coloração especial com azul de cresil brilhante..

SÉRIE BRANCA
A contagem global e diferencial de leucócitos e suas alterações quantitativas e qualitativas são as principais informações fornecidas na análise da série branca. A contagem diferencial é de grande importância, podendo definir perfis patológicos, e é fornecida pela análise conjunta dos equipamentos automatizados e pela leitura do esfregaço corado, que avalia as diferentes formas leucocitárias e as expressa de forma percentualmente (relativa) e em mm3 (absoluta). A análise das alterações morfológicas dos leucócitos também é realizada por observação microscópica do esfregaço corado. Os leucócitos podem ser divididos em granulócitos (mielócito, metamielócito, bastão, neutrófilos, eosinófilos e basófilos), monócitos e linfócitos.

Alterações Morfológicas dos Leucócitos

Corpúsculos de Döhle

São inclusões remanescentes de ribossomas livres que permaneceram após um estágio de desenvolvimento mais precoce. Podem ser encontrados com freqüência em infecções bacterianas, traumas e queimaduras.

Neutrófilos com granulações tóxicas

São grânulos que se mantém no citoplasma por um estímulo à granulocitopoese durante durante processos infecciosos persistentes.
Pelger-Hüet
É uma alteração hereditária autossômica rara, que se caracteriza pelo achado de neutrófilos hiposegmentados, sem que no entanto ocorra alteração da função da célula. Ocorre em cães e gatos. Os neutrófilos aparecem na periferia com discreta segmentação (bilobulados) ou mesmo sem segmentação (como bastões). Como não leva a alterações funcionais, não apresenta repercussões clínicas. Seu diagnóstico assume importância para evitar sua interpretação como um desvio à esquerda. Pode também ser encontrada nos eosinófilos. Existe, ainda, um quadro chamado de pseudo-Pelger-Hüet, no qual essa alteração pode ser adquirida, sendo causada por reações a drogas e em alguns casos de mielodisplasias.

Chediak-Higashi
Doença autossômica reconhecida em gatos persas ou com ancestrais persas, em que os neutrófilos apresentam um corpúsculo róseo. Esses animais possuem a função plaquetária defeituosa e por isso possuem uma pequena tendência a sangramentos.

Plaquetas
A avaliação das plaquetas pode ser feita de forma quantitativa, expressa em mm3, e de modo qualitativo, pela avaliação das características analisadas no esfregaço corado, o que permite a identificação de alterações morfológicas das plaquetas.
A utilização de equipamentos automatizados, além de fornecer contagens mais precisas, permite que se obtenham informações em relação à presença de anisocitose e grumos plaquetários, e também de índices plaquetários, que em sua maioria ainda não estão liberados para uso clínico. Entre eles o que começa a ser utilizados é o MPV (Mean Platelet Volume), considerado um índice de anisocitose plaquetária. Entretanto, ainda faltam maiores dados de correlação clínica.
As alterações quantitativas podem ser tanto o aumento da quantidade de plaquetas, chamada trombocitose, quanto à diminuição, denominada trombocitopenia.

Prazo: mesmo dia.

Código:2