• Equipe
    Especializada

    Contamos com uma equipe de veterinários a disposição do clínico para dúvidas e trocas de experiências. Oferecemos palestras para educação continuada de nossos clientes

    equipe especializada
  • Exames de Cultura e Antibiograma
    liberados em 48h

    Dependendo do crescimento bacteriano

    antibiograma animal
  • Endocrinologia

    Exames hormonais realizados

    DIARIAMENTE
    .

    endocrionologia animal
  • Imunologia

    • Cinomose       • PIF
    • Leptospirose • Ehrlichiose (TITULAÇÃO)
      entre outros

    LIBERADOS NO MESMO DIA

    imunologia
  • Rapidez na
    entrega de exames

    Resultados rápidos e precisos por e-mail
    ou no site.

    sentrega de exames
Exames laboratoriais veterinarios
Manual de exames

○ Neosporose IgG – Mamíferos

Material: 0,5 ml de soro

Método: ELISA - Esse kit utiliza um conjugado de proteína A/G-HRP. Esta proteína é capaz de detectar anticorpos de todos os mamíferos.

Comentário: O protozoário Neospora pode causar infecção fatal no cérebro e medula (encefalite e mielite), em situação neonatal em cães, veados, cavalos, ovelhas e bezerros congenitamente infectados. Várias espécies (bovinos, caninos, caprinos, ovinos, eqüinos e cervídeos) podem servir como hospedeiro intermediário, com bradizoitos (estágio latente) presentes nos cistos. Ao se alimentar da carcaça do hospedeiro intermediário, o hospedeiro definitivo desenvolve uma infecção intestinal. O parasito, sob reprodução sexuada, reproduz-se no intestino e, posteriormente, seus ovos (oocistos, medindo 10-12 mm de diâmetro) são levados ao ambiente pelas fezes. 

Os oocistos não são esporulados. A esporulação ocorre nas fezes, dentro de três dias, não sendo, portanto, infecciosos em fezes frescas. Os oocistos esporulados contêm dois esporocistos, com quatro esporozoitos cada um. 

Os oocistos são resistentes quando no ambiente e permanecem viáveis por longo período até serem consumidos pelo hospedeiro intermediário, por meio de alimentos contaminados. 

Após a ingestão dos oocistos esporulados, pelo hospedeiro intermediário, os esporozoitos desencistam-se e invadem os tecidos desenvolvendo uma infecção sistêmica. O parasito apresenta, principalmente no cérebro, um comportamento de dormência nos tecidos, os bradizoitos. Apesar de estarem em estado latente, quando ingeridos pelo cão são infecciosos.

Os títulos de anticorpos apresentados por animais infectados são geralmente baixos, principalmente em cães. A maior parte destes não desenvolve resposta humoral frente ao desafio, sendo que os animais que chegam a produzir anticorpos, o fazem de forma retardada, apresentando anticorpos IgG específicos somente após 4 semanas, prazo este que pode se estender por quase 500 dias (SCHARES et al., 2001; GONDIM et al., 2003). As demais espécies já estudadas não apresentam tal cinética tardia de resposta mediada por anticorpos da classe IgG, porém geralmente mantém baixos níveis séricos por curtos períodos de tempo (McGUIRE et al., 1999; MINEO et al., 2005; COLLANTES-FERNANDÉZ et al., 2006). Os bovinos, exceção a este fenômeno, geralmente apresentam uma rápida soroconversão, com altos títulos, e tendem a manutenção de positividade durante um longo período (DIJKSTRA et al., 2003).

Os taquizoítas de N. caninum e N. hughesi são utilizados nos estudos de soroprevalência da

neosporose equina, e apresentam os mesmos antígenos de superfície. Desta forma, os anticorpos contra N. hughesi reagem com N. caninum, e os anticorpos contra N. caninum também reagem com N. hughesii, ou seja, N. caninum e N. hughesi apresentam reação cruzada e a diferenciação das duas espécies não pode ser realizada pelos métodos sorológicos (MARSH et al., 1996; JAKUBEK et al., 2006; LOCATELLI-DITTRICH et al., 2006).

Prazo: 4 dias úteis.

Código: 370