• Equipe
    Especializada

    Contamos com uma equipe de veterinários a disposição do clínico para dúvidas e trocas de experiências. Oferecemos palestras para educação continuada de nossos clientes

    equipe especializada
  • Exames de Cultura e Antibiograma
    liberados em 48h

    Dependendo do crescimento bacteriano

    antibiograma animal
  • Endocrinologia

    Exames hormonais realizados

    DIARIAMENTE
    .

    endocrionologia animal
  • Imunologia

    • Cinomose       • PIF
    • Leptospirose • Ehrlichiose (TITULAÇÃO)
      entre outros

    LIBERADOS NO MESMO DIA

    imunologia
  • Rapidez na
    entrega de exames

    Resultados rápidos e precisos por e-mail
    ou no site.

    sentrega de exames
Exames laboratoriais veterinarios
Manual de exames

Diarréia bovina a vírus –BVDV e Doenças das Fronteiras BVD

Amostra: 1 ml de soro ou 5 mL de leite (tanto amostra individual quanto do tanque). Estabilidade: R - 5 dias e C - 6 meses (leite só pode ser congelado após desnatado).

Amostra de soro: A idade recomendada de extração do soro para ótimo diagnóstico de soroconversão em bovinos é de 6 a 8 meses. Em animais jovens, resultados sorológicos podem ser mascarados pelos anticorpos maternais do animal.

Comentários: O vírus da diarreia viral bovina (BVDV) é um dos principais patógenos virais dos bovinos e sua infecção causa importantes perdas na produção dos rebanhos afetados.

A BVDV pode provocar manifestações clínicas que vão desde infecções agudas até alterações reprodutivas, com destaque para baixa eficiência reprodutiva, infertilidade, mortes embrionárias, repetição de cio, abortos, nascimentos de bezerros com defeitos congênitos e desenvolvimento retardado, incluindo infecções pré-natais capazes de levar a um quadro possivelmente fatal denominado “Doença das Mucosas”.

A transmissão da enfermidade pode ocorrer normalmente por contato direto com portadores (corrimento nasal, saliva, sêmen, fezes, urina e leite); via transplacentária; por meio de vacinas vivas modificadas ou vacinas contra outras enfermidades que estejam contaminadas com BVDV; soro fetal que é usado em transferência de embriões ou produção de vacinas. Medidas de manejo tais como a compra de animais sem o conhecimento do histórico sanitário ou de vacinação, aquisição de fêmeas carregando fetos persistentemente infectados (PI), pobre esquema de vacinação e concentração de um grande número de animais em áreas relativamente pequenas, podem levar a uma fácil disseminação do BVDV.

O Vírus da Diarréia Viral Bovina (BVDV), junto com o vírus da doença das fronteiras (BDV) e vírus da peste suína clássica (VPSC) são os 3 vírus membros do gênero Pestivírus (família Flaviviridae). BVDV atravessa a placenta das vacas gestantes infectadas causando perdas reprodutivas devido a abortos, bezerros natimortos ou bezerros que morrem cedo na vida. Dependendo da imunocompetência do feto no momento da infecção ele irá superar essa infecção tornando-se um bezerro Imunotolerante Permanentemente Infectado (IPI). Os animais IPI são animais soro-negativos, mas excretam grande quantidade de vírus infeccioso pelo resto da sua vida. Os animais portadores frequentemente morrem de doença das Mucosas nas primeiras horas de vida.

BDV causa síndromes similares da doença em ovinos, embora mais fáceis de reconhecer devidos os defeitos de nascimento na lã e os sinais nervosos em muitos cordeiros infectados. Este vírus também atravessa a placenta em ovelhas prenhes e animais portadores são comuns, perpetuando a infecção no rebanho.

O exame é designado para detectar anticorpos contra uma proteína específica presente em todas as cepas de BVDV e BDV (proteína não estrutural p80). Por esta razão, anticorpos para ambos os antígenos (BVDV e BVD) poderiam ser detectados. Não obstante, a especificidade do kit evita reação cruzada com outros anticorpos.

Flores et al. demonstraram que testes de soroneutralização (SN) utilizando vírus de apenas um genótipo podem resultar em um número significativo de falsos–negativos.

Método: ELISA

Prazo: 5 dias.

Código: 492